Podcast do Clube de Engenharia

A Crise Hídrica no Estado do Rio de Janeiro

February 19, 2020 Season 1 Episode 1
Podcast do Clube de Engenharia
A Crise Hídrica no Estado do Rio de Janeiro
Chapters
Podcast do Clube de Engenharia
A Crise Hídrica no Estado do Rio de Janeiro
Feb 19, 2020 Season 1 Episode 1
Clube de Engenharia

Neste primeiro episódio de lançamento do Podcast do Clube de Engenharia, recebemos os especialistas Engenheiro Pedro Celestino, Presidente do Clube de Engenharia, o Engenheiro Flavio Coutinho, funcionário aposentado da CEDAE e o Engenheiro Stelberto Soares, membro do Conselho Diretor do Clube de Engenharia. O debate de nossa conversa gira em torno da crise hídrica que afeta o estado do Rio de Janeiro, com os especialista falando sobre projetos, causas, preocupações que afetam os cidadãos fluminenses!

https://www.buzzsprout.com/?referrer_id=815296

Show Notes Transcript

Neste primeiro episódio de lançamento do Podcast do Clube de Engenharia, recebemos os especialistas Engenheiro Pedro Celestino, Presidente do Clube de Engenharia, o Engenheiro Flavio Coutinho, funcionário aposentado da CEDAE e o Engenheiro Stelberto Soares, membro do Conselho Diretor do Clube de Engenharia. O debate de nossa conversa gira em torno da crise hídrica que afeta o estado do Rio de Janeiro, com os especialista falando sobre projetos, causas, preocupações que afetam os cidadãos fluminenses!

https://www.buzzsprout.com/?referrer_id=815296

spk_1:
00:10
Bom dia, Boa Tarde Valores para você ouvinte de radicais de construção nacional do clube de engenharia. Seu primeiro episódio tem como tema a crise no Estado do Rio de Janeiro. Nós temos o prazer de receber como convidados especialistas. Nosso engenheiro Pedro Celestino, presidente do Clube de Engenharia, exige funcionário aposentado da Cedae e o dinheiro está aberto. Sua área de membro do Conselho diretor do clube de gênero senhores, estaria em primeiro lugar de agradecer empresas senhores, bastaria atualmente cada um dos senhores pudesse fazer uma breve apresentação sobre as suas posições em relação ao estado atual da crise com a palavra
spk_2:
00:52
para não é do clube de engenharia, essa questão da água está mal colocada. A Cedae é uma empresa, presta serviços há décadas. A população serviços de qualidade, estranhamente é objeto de uma campanha que visa a denegri lá, para possibilitar o que hoje já é manchete nos principais jornais da cidade. Privatizar a nossa posição no clube de engenharia é de defendê la com uma empresa pública, o que não significa defender glamorosos erros de gestão que não vem apenas desta administração. Há um descalabro especificamente em relação à questão de esgoto, o que acaba por repercutir na estação de tratamento, quando uma das maiores estações de tratamento de água do mundo, que é sobrecarregada por produtos químicos e com receber placas e esgoto a céu aberto por falta de atenção de sucessivos governos às necessidades de saneamento básico da Baixada Fluminense.
spk_1:
02:11
Obrigado Pedro. Seu corpo
spk_3:
02:15
tem uma proposta técnica simples, barata e eficiente, até ter apresentado há cinco anos a seis a direção da Cedae, mas agora de engenharia, além da administração passada, também apoiou. Nós estamos apresentando essa proposta basicamente se for, não é uma proposta. Tem de passar tubulações subterrâneas e baixo do rio, além da água do rio. Vocês têm a ideia de captação de sete vetos e a proposta de passar a tubulação enterrada, ou seja, a população passar dever profundidade e a nossa proposta primeiro passa possível. Quem já com água, já tirou, mais unidas, sabe que se for funciona então o gosto que deixa isso a coisa simples, barata e rápida.
spk_1:
03:13
Obrigado, senhor, está aberto pessoas
spk_0:
03:17
amigos, sala de agrícola, de vida Eu não posso esse processo deixar de dizer que eu não posso considerar a água como mercadoria. Água não é cômoda. E em cima desse princípio, que foi muito bem defendido aqui pelo meu ela nesta sala de engenharia, relator da ONU para o esgotamento sanitário e a água em cima desse conselho que o único só água não é. Como a Cedae foi durante em gestões massa de troca política deve se enfraquecimento sua sem os recursos deixados para a caixa, única pedido que ela pudesse funcionar. Então é uma questão difícil defender essa para situações mais. Defender a empresa pública é correta
spk_1:
04:13
para além da questão do esgoto doméstico, como ou quatro senhores programadas com relação à lei, Efluentes industriais a pergunta do membro do Conselho Diretor e Bairro Santo, essa, como os senhores, enxergam a poluição industrial nos afluentes que desembocam junto ao paraíso pouco antes da captação do banco.
spk_0:
04:34
Olha só essa questão da comissão industrial. Teoricamente a legislação controla se você tivesse fiscalização, ou seja, qualquer indústria dessa captar a água a jusante. De onde ela jovem abaixo, você joga aqui, porque se ela jogava comissão aqui, ela vai captar a poluição, Só que isso não funciona. Nós estamos cansadas. Serias acredita em Papai Noel Mas, na questão lado Paraíba do Sul que vaca falando com a nenhuma dúvida que o Paraíba do Sul, Toda aquela parte industrial e queimados com a sua área social estão contribuindo. Agora. A Cedae tem gasto muito dinheiro para exatamente tratar essa quatro de alumínio feérico, cloro em processos mecânicos. Quando nós temos uma água que tem sido água de boa qualidade, Agora, em certos momentos que acontece que aconteceu então essa questão? Quinta- Eu não tenho uma dúvida que a água da Cedae a água do Rio Paraíba do Sul é uma água de melhor qualidade do que a água do Reno, por exemplo, o Rio Reno, aquela química alemã. Mas é um trabalho que tem que ser para retirar em nota a Cedae Estilísticos
spk_3:
06:02
Não há dúvida. Tem que ser feito saber de Lisboa Industrial essas indústrias todas a jusante da estação. Mas essa exposição ela é essencial, porque na hora que acabar que deu problema numa situação dessa uma captação, então ela está lá para funcionar. Outra coisa qualquer está sob ela, estava noventa por cento dez Por ser, vou continuar caindo. Ele tem um grande problema porque é quem mais está muito próximo a captação vai dar tempo. O Rio auto declarar que o Rio tem uma capacidade de recuperação, não sei se vocês verão no mês passado, alterou as piranhas. Atacaram as pessoas que estavam com o mundo. Sabe que no tira teima, sabendo que é alta, vez por você vê quilômetros adiante. O Rio se auto em janeiro e aqui no balneário tinha. As pessoas estão mudando, agora o problema de queimada. Nossa reputação é que
spk_2:
07:16
os votos já
spk_3:
07:17
ouvem na boca
spk_2:
07:18
e vai ter cerca de dez
spk_3:
07:20
por cento dos votos. Festa com qualquer casamento civil. Se fizer eu vou continuar.
spk_1:
07:29
Obrigada, Fábio. Agora a escolha da pergunta
spk_2:
07:34
Essa questão do esgoto industrial não é a questão crítica no município? Flávio aborda a poluição do Paraíba a montante da captação de Santa Cecília em Barra do Piraí Essa comissão em grande parte, esta carta na barragem que existe e presente, se a filha é a captação, mas tem baixo do funil, na Paraíba, que purifica naturalmente, toda toda punição do Vale do Paraíba, Segundo o mais precária que seja fiscalização, Qualquer licença de instalação há décadas só é concedida se a captação de água da indústria se deram um ponto abaixo de onde ela joga o seu efluente. Então, mesmo sem fiscalização, as indústrias são obrigadas a abaixo ponto e despejam seus. Eu acho que o que a gente deve focar aqui para resolver essa crise que aflige Relação do Rio de Janeiro de Nova Iguaçu. Te, essa parte da região é uma solução proposta pelo Flávio, que é a de impedir que esses que hoje chega e o esgoto principalmente doméstico, que hoje chega a Estação de tratamento da água do Guandu, impedir que cheguem como fazendo uma transposição do quanto de tal forma que essa que esse esgoto seja despejar a jusante da estação de tratamento da. Eu queria também focar nessa questão da defesa da empresa pública. Queria que você levantar essa questão para que nós possamos aprofundar a crítica ao mau desempenho da Cedae. Nas últimas,
spk_1:
09:48
vou aproveitar a posição, precisa apresentar e pedir que o quadro possa elaborar um pouco mais. Quais são as posições que defende em relação ao projeto?
spk_3:
09:58
Sim, Além de sifão, vocês viram quem é uma outra medida que eu acho antes essa malfadada gente de vez. Se você olhar o rio para vai, terão em duas lagoas a menor alta. Desde ela agora, quer especial
spk_0:
10:22
e tá cheio de algo. Exige, claro
spk_3:
10:26
mapa de uma vista aérea. Essa Lagoa Maior cumprir fica ao longo do rio está incluído e a captação. O que conta o Copom? Se em vez de abrir um canal, uma comunicação no Rio? A Lei dez estamos numa ela gosta aqui, Você faz, a comunicação acaba com a rua, acaba com a acabar com essa agonia da população. A lagoa vai passar a ser o braço de aí. Se presidente, ela vive com barro. Chegou se a lei está gastando ciclos de lazer para jogar barra da Lagoa para acabar com a aula. Agora o barro está vindo naturalmente. Uma medida simples, junto com um sifão
spk_1:
11:15
também as opiniões.
spk_2:
11:18
Eu sou engenheiro,
spk_3:
11:19
não só na casa da engenharia. Três A nossa tendência procurar uma solução. O fato está apresentando uma proposta que apresentou como
spk_0:
11:29
ele disse há cinco anos que eu saiba a vinte anos já se questiona o aumento da poluição dos acidentes, quando inclusive do Paraíba do Sul, mas toda a área da Baixada. Porque quando criaram as unido social de queimados, não só as indústrias, foram incontáveis a população da bacia estupidamente. Então vejam as soluções técnicas existem. Se você reunimos técnicos, você vai ter várias soluções. Qual é o problema quem dissídio, como o dissídio a questão, portanto, meus amigos não é a questão política. Porque porque, por exemplo, há anos e anos já se sabendo disso, gastou se dinheiro para a Barra da Tijuca porque se colocou esgoto na Barra da Tijuca e não na bacia, que abastece nove, dez milhões e meio de pessoas. Decisão política não foram, Foi um presidente da Cedae. Nenhum presidente da Cedae tinha poder decidir essa questão. A questão maior nós temos que pensar quem dissídio, como o dissídio em que nós tínhamos que fazer para que haja influência
spk_1:
12:40
da questão política, tem uma discussão sobre a privatização ou não da sociedade. Sobre esse, bastaria das opiniões de Pedro Celestino
spk_2:
12:47
Como eu já disse, nossa posição é de defesa da empresa. Defender a empresa pública, entretanto, não significa defender as gestões da Eu vou dar. Alguns diversos programas foram estabelecidos nas últimas três Plano de despoluição da Baía Programa Favela para Sônia Nova Baixar baixada via cabe ao governo, Seja estadual, seja municipal, tem algum programa de saneamento para apresentar à população. Entretanto, estações de tratamento gigante foram construídos. Vamos comparar um sistema de tratamento de esgoto ao sistema de circulação do corpo humano. O coração é a estação tratar da estação de tratamento. Sem os coletores, os corretores chegam as ligações domiciliares ou industriais, então é ramificar nenhuma das estações inauguradas desde o governo Marcelo Alencar atende as finalidades para as quais foram construídas por falta de ligação entre os coletores e os ramais e ligações domiciliares e industriais. Uma das estações, por exemplo, de Sarapuí, foi inaugurada pelo Marcelo pelo garotinho, pela Rosinha, pelo Cabral e não funciona.
spk_0:
14:35
Elas funcionam sempre aquém das suas possibilidades, porque as vezes. Mas quando eu coloco a questão que a questão política não é, nós temos que entender esses presidentes da Cedae. O Sol Clube de Engenharia, por exemplo, tem três a apresentação de um vice presidente e o outro também assumiu a presidência, Porque esses homens, esses omissão, mau caráter, esses homens são vendidos. A questão é muito maior, Olimpíada Você vai ter que trabalhar a questão da Barra da Tijuca que se dane a bacia hoje, se você falar com alguém o que estou dizendo, a gente, você vai descobrir. Você vai fazer uma rede de esgoto na Barra da Tijuca por causa da especulação imobiliária. E você não vai fazer o Guandu que há vinte anos, Como é que se explica isso? Política? Então não vamos fugir da pública, vamos ter que discutir que tipo de governo vai ser, se o governo é transparente, se o governo democrático ou é que define as prioridades? Em que condições esteve? Na verdade, Então eu não estou hoje condições Trabalho há trinta e cinco anos nesse negócio, como Pedro Paulo Assim, trabalhar em todas essas tem uma coisa que o único, todos isso, pmdb- despoluição da Baía de Guanabara, Recursos ao Rio Favela Bairro sabe que aquilo de todos nenhum acabou. O projeto definido como o projeto nenhum o emissário de Ipanema tinha previsto a estação de tratamento primário, no mínimo que é de baixa Estação General Osório, debaixo da Praça do Pavão Pavãozinho do Morro, ou lá naquela Praça do Arpoador. Nunca construiu ao emissário, mas o projeto era esse, você vai assim, o recurso São Rio fez a Grande Barragem de Gericinó, que fez com que o Rio Sarapuí Iguaçu fosse regularizado e não invadissem mais as casas das pessoas. Mas cadê a barragem do Dom Eugênio e fazia parte da cadeia tinha retiradas das pessoas nenhum projeto disso. Ficaria que o favela bairro, por exemplo, ele pressuposto ele construiu trinta e estações de tratamento de esgoto. Ele construiu oitenta e cinco elevatória de esgoto. Ele construiu oitocentos quilômetros de rede de esgoto e entregou Concedei você vai falar assim como você exigiu? Não análises. Eu não tenho condições de operação, ou seja, não conseguiram negociar
spk_1:
17:18
o cultivo de opiniões.
spk_3:
17:21
Eu divido. Não esconderam. Eu sou a favor da privatização há setenta e três anos. Após essa ideia batizada no Rio de Janeiro até ser a cidade do mundo, terça- hoje, setenta e três hoje é que nós temos o Rio de Janeiro quadragésima primeira cidade no Brasil. Eu acho que está na hora de nós dados a vez, porque se é a nossa forma, vai e volta que eu acho que os a estatização vamos saneando o Chile com todos esses em vinte anos, com a água, a maior parte da população noventa e oito e a tarifa de água. Lá o Chile tem convênios, copiar as boas ideias. Uma zero a zero.
spk_1:
18:26
Sobre sobre os exemplos mundiais, nós vemos em alguns países, batizaram as suas questões. Já em Lisboa deram certo, outros tentaram que estão retomando uma vez no estado sobre isso peço criminal de Pedro Celestino
spk_2:
18:44
Veja bem, concessão de serviços de utilidade pública. A iniciativa privada não é necessariamente um, desde que a tarifa seja fixada pelo custo e que se possa estabelecer subsídios cruzados para que a população, independentemente do seu nível de renda, têm acesso a esse tipo de essa é a posição do dia. Defendemos também que serviços de utilidade pública, quando concedidos à iniciativa privada, sejam concedidos a empresas brasileira de capital nacional, porque porque são serviços que geram receitas apenas e reais? E, se forem adquiridos por empresas estrangeiras, causaram dez estrutural na balança comercial e no balanço de para essa, é a posição doutrinária. No caso do Senai, nós somos contra. Eu insisto em dizer somos contra. Mas denunciamos os erros, clamoroso, de gestão, que fizeram com que a corporação da Cedae se apropriasse indevidamente. Falta de controle político, como disso estão de boa parte dos resultados. Os salários da Cedae são escandalosos a salários no Senai de mais de sessenta mil reais. E não é um hindus. Isso aí nós temos que denunciar. Temos que falar da Barra da Tijuca quando dizem que estão oitenta e seis estações de tratamento. Milhares foram construídas por ocasião da instalação dos condomínios não havia coletores e a Cedae cobrava água. Esgoto Ainda do instante, a Cedae instalou os coletores. Cobrou dos condomínios a ligação. Os condomínios disseram não a nossa obrigação fazer estação. A ligação é sua. Nesse jogo de empurra, nenhuma estação de tratamento dessas oitenta e seis opera e a Lagoa de Marapendi é uma coca. A população não pode pagar o preço da má gestão.
spk_1:
21:16
Estou bem,
spk_3:
21:17
presidente, eu só acertam detalhes essas. A
spk_0:
21:22
Cedae fez um levantamento de oitenta e seis por amigos, seis estavam funcionando, estão estavam funcionando na época, desde noventa e três. Não sei o que eu quero colocar o seguinte Veja bem, eu pessoalmente sou absolutamente a empresa privada na produção de água é estratégico. Uma questão de princípio nascido em sua cadeira, tem uma posição clara e eu acho que até discorda. Se você pegar minha posição em relação a venda para empresa nacional, o que aconteceu com a mental leve ou agora com as suas águas, mostra que não adianta você querer dizer que vai vender
spk_3:
22:17
para uma empresa
spk_0:
22:18
nacional para proteger a questão do dólar. Isso aqui a foz Águas, que era Odebrecht Odebrecht na crise que está que fez, vendeu agora para o filme. Filho de agora ganha dinheiro com o esgoto de vinte em vinte e dois bairros agora de Deodora Santa Cruz mandando dinheiro por Canadá, os vínculos a metal leve, por exemplo. Estava lá, uma empresa nacional, agora é uma multinacional. Então nós temos que não podemos principalmente é considerar que a coisa vai funcionar. E mais após águas que ela era Odebrecht que agora o filme ela tem uma coisa. Ela recebeu o Eduardo Paes a concessão por trinta anos, mas não das favelas nem das áreas de proteção ambiental ocupadas. Então, só que é o fim. Essa questão é uma empresa privada, não vai poder investir num lugar que não dá lucro. Então ela vai funcionar até ele. Por isso que ele, Paris, até Leonel Brizola, foi tirada do negócio. Imagina grande empresa francesa privada, porque eles como iniciativa privada, um gerente da iniciativa privada, não pode investir na hora que o bloco. Então, eles vão fazer algumas coisas? Sim, é verdade, Está mais baixa a hora que para nós temos um milhão e quinhentos mil pessoas em favela do município de Janeiro, Nós temos oitocentos mil pessoas em um loteamento clandestino irregular. Essa é a prioridade.
spk_1:
23:59
Favor for cultivo,
spk_3:
24:01
o Chile resolver essa questão, fazendo porque estava ficasse com trinta e três por cento das ações para empresas. A empresa estaria livre e responsável pela população carente. Hoje, a população toda ateadas a carentes, já não resolveu uma maneira prática e objetiva. E o metro cúbico da água é mais barato. Mas
spk_0:
24:26
permitiu na água favor só uma questão O Chile é uma fazenda comparado com o Brasil, com o Rio de Janeiro. O Chile tem quase a população do Grande Rio. É uma questão difícil. Eu sei que é possível em alguns lugares é absoluta. Agora se vê nos outros lugares estão o Newell mostrou aqui como se disse como a volta, Porque não estão alcançando as periferias, as áreas necessárias que não se dão lucro, cada tira exemplo, saber o que deve. Houve aquela crise em São Paulo há vinte e cinco anos? E o que fazer? Aquela interligação de uma bacia ou você vai investir uma grana preta e reduzir os lucros da Sabesp, que têm dinheiro na bolsa, que tem ação da bolsa e que, portanto, tem que responder aos seus associados? Não por isso São Paulo fizeram a ligação ficar vinte e cinco anos. Hollande, quando deu a crise toda, agora apelando até com a Paraíba do Sul. A isso,
spk_1:
25:30
claro, o Chile.
spk_3:
25:35
Que a população do Estado e a distribuição é tempo as condições. Porque em matérias, mas tudo é gol. O Brasil possui o Rio de Janeiro consertada. É muito mais fácil administrar pessoa. Confirmava uma área menor, o que é o maior. Uma hora não é a porta de Jávai Rocha Cedae Fosse seu saneamento. Lago é. Após conseguir que as condições são piores, ela não se trata, não, não fazem dia. Trata se o fato de estar em constante estão em condições bem mais adversas para nós.
spk_1:
26:17
Como estava recebendo impossível falar sobre o problema da água sem que a gente fala da questão do saneamento básico, o engenheiro, eles sobre crise global da Universidade Federal Fluminense apresenta a seguinte pergunta Quais são as perspectivas de mudança quanto ao sistema de tomada em tempo c coletores vistos ainda aplicados em diversos municípios do Estado, inclusive imagens de Niterói, Rio de Janeiro, em detrimento da construção do sistema de separador absoluto, como prevê a nossa legislação do ponto de vista a possível privatização da cidade. Claro, cultivo.
spk_3:
26:53
Folha Por exemplo, na França, são pais de Las Vegas Foi a resposta mais barata tomada. Assim, temos absoluta, dependendo da condição um lugar para você fazer o separador ou fazem tomar nada aqui na lagoa. Nós temos que tomar na praia de Copacabana. Nós temos tomado aquela pelas favelas, o esgoto, cada galeria, jogo mundial e a própria nós fizemos tomada pelo seu quando chove aqueles para sua, que vai não os Estados Unidos também a rede de esgoto no cérebro. Objetivo. Se a gente fosse discutindo muito até hoje, como acabamos
spk_1:
27:54
Pedro Celestino favor.
spk_2:
27:57
Veja bem essa questão, a água dos pontos no Rio de Janeiro O bom senso diz que a Cedae só deve cuidar da ajuda a procurar. Um dos grandes erros da UE a partir da inclusão se encarrega de sistemas de abastecimento de água e esgoto, de vassouras, por exemplo. Uma série município não tem a menor importância dentro do grande problema que é a região metropolitana do Rio de Janeiro. Essa discussão da privatização da sua mãe deve ser encaminhada de uma forma objetiva e não apressada, do jeito que está sendo proposto para resolver o problema de caixa do governo ou para satisfazer a interesses internacionais que têm interesse em pegar o filé, deixando o osso nas mãos do Estado.
spk_1:
28:52
Estão a favor,
spk_0:
28:55
eu só como uma questão as línguas negras, chamadas maneiras de esgoto em Copacabana. Mas existe toda a chuva um pouquinho maior. Você tem as quatro línguas em Copacabana? Continua, porque qualquer chuva, um pouco maior falar, é um ícone mundial. Foi muito
spk_3:
29:16
bem. Vamos, vamos voltar para o Paquistão, está falando. Eu continua
spk_0:
29:21
batendo de que nós temos que pensar a
spk_3:
29:24
política, técnicos. Um fato está apresentando uma proposta e tem proposta, vocês
spk_0:
29:31
juntos, técnico? Agora, qual é a posição? Nós eu sou, por exemplo, contra a privatização pura. E simplesmente porque eu acho que a água não é mercadoria. Água não é comum e, a partir daí você tem que ter um sistema controlado pela sociedade. Agora, a sociedade tem que se organizar. As instituições têm que se organizar. Por exemplo, você está falando do esgoto do segundo, segundo contato que fez quatro City de Londres. Fez aquela primeiro. Foi lá onde Chega da Seaerj, na Glória primeiro contrato com a site Direitos. O segundo contrato com envio Isabel trazia o esgoto de Vila Isabel. Até o caso tinha elevatória. Ali jogava uma barcaça, jogava fora como fazia lá, vai ser. Essa rede constituída pela city de Londres, funciona até hoje, sabe quanto os extravasou. Eles têm dessa rede da antiga Visconde cidades quando, sem saber. Onde? Tiago, antigos zoológicos, alívio, Isabel dali. Até o Caju, o companheiro nosso da Cedae que dirigia me mostrou em noventa e dois, tinha noventa e extravasou da rede de esgoto drenagem. Então, claro, aquilo foi construído quando Grajaú não existia, quando metade Vila Isabel era fazenda dos macacos do valor do gol e a mesma rede que funciona até hoje. E aí você chega e diz assim não, porque os esgotos da Tijuca estão agora tratados no Caju que chegaram com a regra que a Praça da Bandeira cidade só tem um problema, uma parte dos recursos porque a outra parte está dentro do Rio Trapicheiros. Medo embora cada basta la, basta tentar isso. Se eu fazer exame da então, são coisas que nós temos que pensar, e politicamente pressionar. Não vou como um pouco
spk_1:
31:29
sobre a questão dos projetos. Os projetos, desvios de recursos desses afluentes chegam com abominável Paraíba. Ele já tem décadas de idade como a gente já hoje. Uma outra solução de projetos de engenharia seria captação ao montante, ou seja, acima desses pontos comissão o bombeamento forçado, que algo que foi apresentado no estado. Qual a opinião do senhor acerca desse projeto?
spk_3:
31:58
Você vai bombear para baixo o SIC ou pegar após, mas outras devem lavar. Agora vai captar para bombear, pagar julgado abaixo.
spk_1:
32:15
Outra questão que no Pará pela própria população, é que, no processo, o Estado do Rio de Janeiro sofreu vista para que possam de suas contas a privatização da cidade. Um problema do projeto. Qual é a opinião de vocês acerca desse tema? Ação de gestão?
spk_0:
32:37
Folha Na época, a Cedae era três e meio a Cedae como o pagamento aos três mil e foi emprestado na época do Pezão. Podem cadeira, Só está sobre o Bangu e ao que não conhece a maior estação de tratamento de água do mundo do mundo. São Paulo tem várias estações aqui nós dependemos da estação do mundo. Temos algumas novos mananciais aí que a línguas frente das negras, que vem jogando, que produz a água, é fundamental para toda a zona oeste, da baixa da então veja agora. Hoje se pega os jornais de hoje, uma mistura de palavras e morte. Ficamos sem saber uma hora. A privatização, outra hora. A concessão, outra hora. A venda concessão não é venda, é da hora. Sai uma coisa e diz que o Estado receberia onze. Vive na privatização. Uma hora. A privatização da autora não está agora é concessão onze bi, todo esse sistema, o Estado inteiro com sessenta e quatro municípios, onde a sociedade organizada e isso não começou. Agora isso foi ideia da ditadura. Quando criar as empresas. E quando as empresas, quem não não tivesse uma empresa estadual, não receberia de planar agora qualquer fazer de novo com a lei. O projeto de lei Lado Jereissati, que está agora com a cara amassada no Senado,
spk_3:
34:16
foi para a
spk_0:
34:17
cama condicionado. A questão toda é Vamos emprestar para as empresas privadas, exigência. A meu juízo, isso é voltar no tempo. Isso dá margem Ah, de novo. Nós atrasarmos o processo. Eu acho
spk_3:
34:36
que atrasos,
spk_1:
34:39
Flávio, cultivo, favor
spk_3:
34:41
o meu, mostrei aqui vou estar, eu sou a favor da privatização. Inclusive porque o investimento necessário na segunda, o Estado não tem dinheiro, municípios estadual ou federal. para quem está fazendo. Basicamente é isso.
spk_2:
35:03
Favor discreto, mesmo com a Cedae, a empresa que é lucrativo e ela podia ser muito mais lucrativos. Se não tivesse esses salários escandalosos que tem, ela tem que ter uma profunda reformulação. Eu não tenho uma posição de princípio contra a concessão de serviços de utilidade pública. A empresa privada, a City, atendeu o Rio de Janeiro muito bem, além de atender o Rio de Janeiro muito bem. Não é esse o problema, desde que tarifa seja pelo custo e haja subsídios cruzados e seja a empresa brasileira de capital Nacional. Isso como regra, nenhum problema em relação à concessão, mas eu a concessão para o novo Mais Fundo, diz o Flávio Coutinho Precisamos de investimentos e ele diz que o Estado não tem recursos. Vamos admitir que não, que não tem então muito bem. Eu quero capital privado, sim do em concessão para o novo. Não é isso que eles querem. Eles querem pegar a preço de banana que já foi feito, Se é para fazer o esgotamento sanitário da Baixada Fluminense, concessão à iniciativa privada, otimo tarifa pelo custo, o que é bom para o investidor, porque assegura a remuneração do capital e subsídio cruzado a eu teria a empresa pública e teria a concessionária para novos investimentos, mas isso não quer.
spk_1:
36:49
Flávia Coutinho Favor suas opiniões sobre
spk_3:
36:52
escola poderá receber. Eu volto a dizer Vannuchi feita assim como sua o Estácio trinta e três por cento das ações, e atende a população carente. E hoje, lá noventa e oito houve evolução da população carente, não carentes com a luta. Eu acho que aqui no na sociedade querendo fazer alguma coisa. Dividido em quatro blocos na página eu sou partidário. Você forma de vassoura nessa cidade é uma alternativa
spk_1:
37:32
só para finalizar o nosso, pode querer seu. Gostaria das impressões finais dos senhores e já aproveito para agradecer a presença de cada um. Então começam a favor Pedro Celestino
spk_2:
37:43
para completar sua sim, na minha opinião cetae coisa só da região é conceder e sete aprovada para novos investimentos com essas condições de contorno, nenhum problema. Municípios do interior vassoura não têm esse tipo de problema que se quiser dar em concessão para a iniciativa privada. Nenhum problema. Tarifa pelo custo subsídio que não tem a dramaticidade da questão social da região metropolitana do Rio de Janeiro e que quarenta por cento da população vive em condições sub humanas.
spk_1:
38:31
Favor está aberto.
spk_0:
38:32
Olha só essa questão para mim não tem uma solução que não seja a discussão já políticas, não é? Vamos resolver qualquer resolverá. Quando conhecidos que resolver a questão. Nós vamos ter eleição como principal. Desculpe que cidade nós queremos. Cada cidade dessa engenharia vai tirar uma posição para a cidade. Nós temos que ter uma cidade, seja democrática que seja transparente, possa decidir suas prioridades, combater a questão. Privatização alguma. Um exemplo do mundo pega, pega nem as matérias do Leão, ela fala não tem novidade nenhuma. Começa pela Bolívia até Paris e Berlim. Voltou porque não alcança. A empresa não vai entrar numa área que não tenho essa questão que está falando, quem é que quer? Belford Roxo, Barra da Tijuca, Zona Sul. Por isso que o BNDES está propondo fatiar o município e combate ao estado cada parte dentro do município, o cara receberá uma parte do Estado para fazer o subsídio cruzado. Agora, o que aconteceu lá fora foi que a hora que chega lá fora
spk_1:
40:03
qual a rotina, incluindo,
spk_3:
40:06
é uma questão de Estado, contratos. Apesar de tudo, agora no interior de São Paulo não pode arcar. Os investimentos, então serão contratos. Agora, imagina se a Cedae a estatal não poder fazer investimento. Vou tirar o contrato dela. Ela vai deixar de assistir aqui. Não, claro que não há agora uma empresa privada não fez, sai fora do aeroporto agora Viracopos, A empresa que pelo olá, não conseguiu honrar os investimentos sem a coisa, fica mais mais flexível.
spk_0:
40:48
Permite uma coisa após água o contrato que foi assinado e que retirava favelas dos vinte e dois bairros da Zona Oeste e tirava as favelas, as áreas pessoas ocupadas, o que eles fizeram isso? O que é suposto de vista de legislação. Ele só poderia entrar numa área urbanizada a aceleração, ou seja, os contratos serão assim,
spk_1:
41:15
novamente agradecendo a presença de todos, gostaria de pedir a opinião do presidente do clube de engenharia pela iniciativa da criação do Poti terá com o seu próximo episódio o debate sobre o petróleo. Foi golpeada.
spk_2:
41:30
Essa iniciativa dia vestida, disse a a sociedade visões plurais sobre questões de interesse, não só da engenharia como da população. Vocês tiveram oportunidade de ouvir aqui várias opiniões, muitas vezes discrepantes e todas visando o atendimento do interesse da população. Esse objetivo pode
×

Listen to this podcast on